quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Prestação de contas do meu mandato de Conselheira Tutelar.

Participei por 11 anos de eventos para formação na defesa de crianças e adolescentes, 8 anos dedicados ao CMDCA, qualificando-me para concorrer a uma vaga no Conselho Tutelar. Fui eleita em 2011 e durante meu mandato trabalhei incansavelmente como Conselheira Tutelar, não usufrui de nenhuma licença saúde, não faltei a nenhum dia ou noite de trabalho e por muitas vezes deixei de compartilhar minhas indignações contra a violência atendida, para não expor nenhum protegido(a).

Cumprir as atribuições do Conselho Tutelar é uma tarefa árdua, pois dependemos da execução de serviços de outros órgãos. Não existem vagas em creche, não existem leitos de UTI Neonatal e Pediátrica em Gravataí. Esses direitos que deveriam ser prioridade para a criança, só são cumpridos mediante liminar judicial. Nestes momentos de vulnerabilidade da família, o trabalho do Conselho Tutelar é fundamental, pois requisitamos serviços e orientamos aos pais.

Dediquei os meus dias de folga para realizar palestras nas escolas, associações, SENAI, CIEE e outras entidades falando sobre prevenção e combate a violência.

Dando continuidade na minha formação, participei do Curso de Capacitação para Conselheiros Tutelares e do Seminário Temático/2014: Abuso e Exploração Sexual ministrado pela FACCAT; concluí o curso de extensão universitária Prevenção do uso de drogas, da Universidade Federal de Santa Catarina; também fui certificada pela Escola Nacional de Mediação Comunitária e pela Secretaria de Reforma do Judiciário no curso de Fundamentos da Mediação Comunitária; fiz capacitação do Sistema de Informação para a Infância e Adolescência - SIPIA CT WEB, executado pela Secretaria Estadual de Justiça e dos Direitos Humanos. Cabe salientar que não foram utilizadas diárias dos recursos públicos para minha formação nos referidos cursos, todas as despesas foram custeadas por mim.

Esta é uma parte da prestação de contas do meu mandato, em especial para aqueles que acompanham o meu trabalho e creditam seu voto em mim. Por isso venho dizer que quero continuar sendo Conselheira Tutelar, pois ainda tenho muito a contribuir, portanto no dia 04 de outubro, preciso do teu voto, da tua confiança.

Obrigada



sábado, 4 de outubro de 2014

Meu voto vai para:

Pela primeira vez não estou filiada a nenhum partido político, também não passei por muitos. Fui filiado ao PT por quase 20 anos, nos tempos em que o partido não havia chegado ao Poder.
Sempre gostei de política, meu tio foi vereador de Tapes, na época eu tinha 14 anos e participei de toda a campanha dele, e desde então fiz campanha para quem acredito, militava por amor e porque acreditava que só participando da política poderíamos mudar o mundo. Acertei muitas vezes, mas errei muitas também. Depositei meu esforço em pessoas que não souberam valorizar meu trabalho. Que não souberam e não aprenderam a usar a verdadeira democracia, que quando tinham poder achavam que eram melhores que nós, que o bancamos. Cabe lembrar que tive cargo no governo e trabalhei dignamente, todos os dias. Não estou magoada por falta de cargo, mas sim pela falta de consideração.
Poderia citar inúmeras decepções, mas este ano resolvi não fazer nada, não distribuir um panfleto, não assistir debates, não por nenhuma placa na nossa casa e nenhum adesivo no carro. Para minha surpresa, fui cobrada por isso por pessoas que sempre “votaram nas placas da minha casa” e nos “adesivos do nosso carro”, que estavam esperando que eu indicasse em quem eles deveriam confiar. Isso aconteceu várias vezes, uma das vezes foi no posto de combustível em que abastecemos o carro a mais de 20 anos, quando o frentista me disse: - Oh, Lidinha cadê os adesivos? Em quem iremos votar? Juro que chorei naquele momento. Isso não tem preço. E é por respeito a estas pessoas que resolvi não indicar nenhum candidato.

Pela primeira vez estou completamente a vontade para escolher os candidatos, aquele que eu considerar digno de receber meu voto. Porém nunca fiquei em cima do muro e tão pouco quis omitir meu voto, portanto vou divulgar meus candidatos:


Para presidente: Voto 13 - DILMA 

Para Governador: Voto 13 - TARSO
Este voto foi decidido agora, pois não consigo aceitar que Ana Amélia ou Sartori sejam nossos governantes. 


 Para Senador: Voto 131 - OLÍVIO DUTRA 
Dispensa comentários, votarei nele sempre!

Para Deputada Federal: 
Voto 1370 MARIA DO ROSÁRIO
Muito fácil de votar nela, como Ministra investiu muito na qualificação e na valorização dos Conselheiros Tutelares, na melhoria da estrutura dos Conselhos e na defesa dos direitos humanos.

Para Deputado Estadual: Voto 43900
SERGIO STASINSKI
Porque conheço o ser humano, por trás do político. Porque sou justa e reconheço quem tratou-me com respeito e valorizou-me. 


Cabe lembrar que durante todo processo eleitoral respeitei as opiniões alheias, portanto, não aceitarei nenhum tipo de retaliação. O Brasil é democrático, graças a muitos dos quais irei votar!  
Um abraço

domingo, 11 de maio de 2014

Todos os dias, são nossos dias!

Desejo saúde, amor e paciência:
As mães responsáveis que zelam por seus filhos desde o ventre,
As mães especiais que receberam de Deus, a missão sublime de cuidar de um filho tão especial quanto elas.
As mães guerreiras que defendem seus filhos com unhas e dentes, que não os deixam sozinhos e que sabem dizer NÃO.
As mães que amam incondicionalmente seus filhos, que conhecem e não fogem de suas responsabilidades.

Filhos não vem com manual de instrução, não podemos trocá-los ou devolvê-los, enfim filhos fazem parte de nossas vidas para sempre!
Depois que somos mães, todos os dias são nossos!!
Beijo

Lidiângela

quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

Retrospectiva de 2013

Este ano foi cheio de surpresas, a família aumentou, nosso Natal foi num camping, tivemos como ceia um churrasco maravilhoso, sem peru e arroz a grega, costumes antigos aos quais não sentimos a falta.
O trabalho foi árduo, porém com mais acertos do que erros. Estou com a sensação de dever cumprido até agora, pois ainda terei muito mais por fazer. Continuo observando a política de fora, coisa dificil de fazer, fico analisando e não vejo diferença entre algumas pessoas, só discurso, mas na prática todos são muito parecidos.
Dediquei este ano para aproximar-me einvestir mais na minha família, pois é o que possuo de mais importante e valioso. Nosssos filhos e netos mesmo morando tão longe, estão sempre conosco, próximos em pensamentos e dentro do nosso coração.
Meu desejo para o próximo ano é que todos tenham saúde, pois é só o que precisamos para ir atrás dos nossos sonhos.


FELIZ 2014!  

quarta-feira, 27 de março de 2013

Uma Páscoa inesquecível!

Eu, 1963!

Quando era criança, minha família reunia-se no feriado de Páscoa na casa da vó Lidia, eram dias regados com banquetes maravilhosos, não podíamos ligar a televisão nem o rádio, porém era o único dia que nos permitiam tomar vinho com água ( na verdade mais água do que vinho). Meus primos e eu ficávamos em volta dos adultos, pois não nos era permitido correr e fazer algazarras, os mais velhos diziam que se houvesse excessos de nossa parte, iriam nos pegar no Sábado de Aleluia. Nunca apanhamos, pois antigamente as crianças respeitavam os adultos e as regras não eram questionadas. No domingo era só festa, procurando os ninhos. Nossos pais faziam as compras e dividiam, assim todos ganhavam a mesma quantidade e cada um fazia seu ninho com nome para procurarmos depois. Passei aos meus filhos essa maneira de festejar a Páscoa, com amor, unidos e com igualdade.
Minha vó Lidia e primo Antonace (in memoriam)
Já tivemos Páscoa com pouca grana, mas uma em especial tornou-se inesquecível. O Manoel trabalhava na prefeitura, e eu estava desempregada. Fizemos um almoço gostoso mas simples, acho que foi massa com sardinha na Sexta-feira e para o domingo de Páscoa compramos uma caixa de bombons e dividimos nos ninhos dos nossos três filhos. Foi uma Páscoa boa, na paz, as crianças sempre foram muito compreensivas neste sentido.

No entanto, o jornal da cidade estava fazendo uma promoção que premiava com uma cesta enorme a criança que fizesse um desenho criativo sobre a Páscoa. A Bruna tinha uns 7 anos na época e fez um desenho, quando vi o tal desenho achei que não tinha chance nenhuma, mas mesmo assim inscrevi-a no concurso, confesso que não tinha nenhuma expectativa da vitória, pois minha filha havia desenhado um mapa para o Sr. Coelhinho localizar nossa casa, era muito singelo sem cores e talvez os jurados não entendessem o sentido do desenho. E na segunda-feira para nossa alegria, aquele desenho simples, foi escolhido pelo jornal e a Bruna recebeu uma linda e gigante cesta cheia de chocolate. Talvez o que os jurados nunca souberam é que a Bruna era a criança mais generosa que conheci, dividia tudo que era dela e assim a Emanuelle e o Leonardo também foram contemplados com o prêmio naquela Páscoa diferente das anteriores. Quando achar o recorte do jornal, posto a imagem daquele dia feliz. Agradeço a todos que votaram no desenho da Bruna e ao Correio de Gravataí que promoveu este concurso.

FELIZ PÁSCOA para todos!! Exercite a tolerância, o amor e o perdão e seja feliz!!